Em rodovias, ferrovias, áreas industriais ou mesmo em vias urbanas de tráfego intenso, é muito comum o incômodo com a poluição sonora. Quem já teve dificuldades para dormir, estudar ou trabalhar por conta do ruído proveniente de alguma dessas fontes, levanta a mão?!

Gráfico comparativo da escala decibel 72 dpi

Níveis de ruído vs modos de deslocação 72 dpi

Você, quando projeta, pensa nisso? Examina as condições do entorno onde está inserida sua área de projeto para eventualmente propor soluções que minimizem esse desconforto? Se ainda não o faz, vamos apontar neste post algumas das soluções que podem aliviar bastante o problema e, algumas delas, podem ainda fazer papel de obra de arte! Conhecendo essas estratégias você poderá analisar as condições existentes em sua área de projeto e propor aquela que for mais adequada, podendo colaborar não apenas para o conforto do seu cliente, mas também do entorno da sua área de projeto. Claro, também existem vidros duplos, esquadrias e outros fechamentos com isolamento acústico, mas neste post vamos chamar a atenção para os elementos externos à edificação.

Barreiras Acústicas

As chamadas “barreiras acústicas” são elementos verticais e/ou horizontais, vistos com mais frequência à beira de rodovias, linhas férreas e áreas industriais que geram altos níveis de ruído. Podem ser compostos por materiais como concreto, aço, policarbonato, vidro, madeira, cerâmica, vegetação, lã de rocha, com diversas combinações entre eles. As diversas composições que vemos nos exemplos abaixo não são meramente estéticas, mas fruto de um estudo que parte da medição de ruído no ponto que se deseja proteger, em dias e horários variados, para então serem realizados os cálculos considerando os coeficientes de absorção e reflexão dos materiais que se deseja empregar e o modo como as ondas serão desviadas/absorvidas. Para um resultado “absorvente” pode-se utilizar, por exemplo, cerâmica e aço; para um resultado “reflexivo” o aço pode ser combinado com vidro ou policarbonato. Deve-se pensar, ainda, na durabilidade e manutenção desses materiais, e no Brasil, infelizmente, há também a preocupação com o vandalismo (chapas metálicas ou de policarbonato que são furtadas). Além das questões técnicas, é interessante considerar as soluções que, além de melhorar a paisagem, possam buscar referências à cultura do local em que está sendo inserida a barreira acústica.

2

4

Massas de vegetação

Aqui basicamente o conceito é plantar massas vegetativas em posições estratégicas (que sirvam de barreira ao ruído), e de preferência devem ser nativas para que possam sobreviver sem manutenção frequente. As imagens abaixo mostram alguns exemplos: a primeira aponta uma solução mais comum nos centros das cidades, com fileiras de árvores entre as faixas de circulação de veículos; a segunda aproveita a área destinada às vagas de garagem para criar uma elevação, um pequeno “monte”, sobre o qual é plantada vegetação de portes e tipos variados; a terceira também usa vegetação com portes variados, mas cria outro tipo de desnível, fazendo uma “vala” na primeira faixa, com vegetação de porte menor, seguida de um “monte” e uma faixa mais larga de vegetação de porte maior.

arv - Copia

3

Jardins Verticais

Os jardins verticais podem ser aplicados em muros, empenas (como o Movimento 90º, que foi iniciado no centro de São Paulo, nos arredores do viaduto conhecido como “Minhocão”) e fachadas, com efeitos muito positivos:

  • amenizam os ruídos (a vegetação “amortece” as ondas);
  • podem produzir um efeito estético muito agradável;
  • ajudam a “limpar” o ar (famosa fotossíntese, captura o gás carbônico e libera oxigênio)
  • colaboram para melhorar os níveis de umidade do ar;
  • melhoram o conforto térmico (o vento, quando passa por uma massa de vegetação, sofre diminuição de sua temperatura); e
  • favorecem a biodiversidade.

Podem ser compostos somente de plantas (com seus vasos e respectivos suportes), como também podem ser combinados com madeira, bambu, painéis em fibra de côco etc, que também auxiliam no “amortecimento” dos ruídos. Nas superfícies mais extensas a rega pode ser realizada por um sistema de irrigação, aplicado externamente à alvenaria, sendo que o ideal é que seja um sistema fechado e com aproveitamento de águas pluviais, evitando-se o desperdício de nossa riqueza natural mais preciosa. Em superfícies menores a rega pode ser realizada manualmente, caso seja viável, para que não se corra o risco da vegetação morrer. Também aqui o ideal é ser utilizada vegetação nativa, habituada às condições climáticas do local em que será aplicada.

jardins verticais

Gostou das ideias? Lembre-se de curtir e compartilhar! =)

Fontes das imagens:

https://veraelianagomes.wordpress.com/

http://www.m-almada.pt/portal/page/portal/AMBIENTE/AR/?amb=0&ambiente_ar=12886034&cboui=12886034

http://bracustica.com.br/blog/?tag=barreiras-acusticas

http://www.indac.org.br/barreiras-acusticas-acrilico-versatil-ganha-mais-espaco.php

http://www.archiproducts.com/pt/produtos/87136/barreira-acustica-rodoviaria-barriere-fonoisolanti-stradali-sitav-costruzioni-generali.html

http://www.aecweb.com.br/cont/m/rev/conforto-acustico-proximo-as-estradas_5532_0_1

http://www.palram.com.br/acoustic_barriers

http://www.archea.it/pt-br/barreiras-acusticas/

http://m.carmo.com/pt/obras/outros-produtos-barreiras-acsticas-absorventes/66

http://www.jardimdocoracao.com.br/mais-verde/jardinagem-e-paisagismo/jardins-verticais-ideias-que-cabem-em-qualquer-espaco/

http://www.papodehomem.com.br/jardins-verticais-no-lugar-das-empenas-brancas/

http://www.distritofashion.com/2011/05/21/jardins-verticais/

http://geoanalysis-ce.com.br/sub-geo-site/2015/07/15/quanto-vale-uma-arvore-2/

http://www.unacoop.it/residenziale-vendita/19-bovisio-masciago-sant-aquilino.html